INSPIRAR

INSPIRAR #02 – Waria Lemuy Skyscraper por Claudio Araya

Autor: Claudio C. Araya Arias
Competição: 2018 Skyscrapper competition – Terceiro lugar
? Local: Santa Olga, Chile

Incêndios em florestas nativas são um dos maiores agentes que degradam ecossistemas no mundo todo. Mesmo sendo o fogo parte da dinâmica natural de alguns habitats, grandes distúrbios causam uma deterioração da sua funcionalidade. O fogo modifica ciclos biogeoquímicos, produz alterações na vegetação, solo, fauna, processos hidrogeológicos e geomorfológicos, qualidade da água e até mesmo muda a composição da atmosfera. Cada um desses elementos coloca em risco não somente a geografia existente, mas também ameaça diretamente os centros populacionais, colocando em risco vidas humanas, suas posses, infraestrutura, entre outros.

 

A temporada de incêndios florestais de 2016-2017 apresentou um record de destruição nunca antes registrado na zona centro-sul do Chile. As consequências deste ocorrido foram 5.244 incêndios com uma área de impacto total de 569.989 hectares, atingindo 2.500 moradias. O caso mais severo ocorreu na cidade de Santa Olga, onde o rastro de destruição excedeu 1.000 moradias, destruindo a cidade inteiraReconstrução é um princípio indispensável, mas o modelo de crescimento e expansão atual é insustentável, e deixa uma visível vulnerabilidade neste território. O solo degradado e a diminuição da vegetação, entre outras variáveis produzidas pelo modelo de implantação existente, foram partes ativasnos fatores que modificaram as condições naturais, deixando a região muito vulnerável.

 

Waria Lemuy, significa cidade da floresta em Mapudungun, a língua nativa da região. A proposta procura apresentar um novo MODO de habitação neste território, através de um sistema de edifícios em altura, que evita os efeitos do antigo modelo de povoamento da área. Tem como objetivo, enfrentar a reconstrução a partir de uma nova perspectiva, recuperando a moradia e infraestrutura perdidas somada a uma restauração da flora e da biodiversidade, através de um sistema que previne e mitiga futuras catástrofes através de um processo de renovação,o qual permite conviver harmonicamente com a geografia e o território.

 

Implantação

O sistema proposto está posicionado no perímetro da área afetada, permitindo estabelecer uma rede de rotasespaços públicos e áreas molhadas reabilitando a área central.

 

Estrutura

Propõe-se um sistema modular, com base embutida no solo, possibilitando uma metodologia incremental. A estrutura dos módulos consistem em elementos de madeira, com uma estrutura metálica externa de suporte, permitindo que os terraços panorâmicos sejam adicionados no futuro, e incluindo compartimentos que atuam como coletores de água, seja na forma de neblina ou chuva. A fachada interior permite a transferência de luz, controlada através de painéis de policarbonato alveolar, que permitem MODOS de ventilação no interior. O principal sistema de circulação verticalconsiste em uma caixa de escadas composta por seções tubulares e retas, com a possibilidade de anexar um perfil vertical que permita a inclusão de sistemas automatizados de circulação.

 

Programa

Consiste principalmente em células de habitações, seguidas por espaços comuns intermediários de pé-direito duplo, como pátios internos dentro de um sistema que incentiva a coexistência e interação entre os ocupantes. A modularidade das tipologias de habitação permite diferentes formas, possibilitando assim, a inclusão de apartamentos de diferentes modelos.

 

Funcionamento

A proposta se dá em um edifício com capacidade de interagir com o meio ambiente através de um sistema de captação de água, o qual é redirecionado e armazenado em bolsões nos perímetros de acesso. Essa estratégia projetual, tem como objetivo de regular termicamente o edifício, aumentar a umidade do setor e criar um sistema de irrigação em rede, o que aceleraria a recuperação da flora afetada.

 

Prevenção e redução de riscos

Formalmente, o edifício é considerado um elemento de prevenção, atuando como um farol na prevenção de futuros eventos catastróficos. Seu sistema de fachada permite a ventilação cruzada do edifício, que desacelera os principais ventos. Já seu sistema de armazenamento de água e a irrigação do ambiente permitiriam o aumento da umidade existente, permitindo controlar parte das variáveis mais influentes na propagação dos incêndios florestais.

___

O texto aqui apresentado sobre este projeto foi uma tradução livre realizada pela nossa equipe, veja o texto original em inglês e as imagens em alta resolução neste link!

Gostou da série INSPIRAR e quer olhar mais projetos em destaque? Clique aqui para ser redirecionado a outros conteúdos semelhantes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *